+55 (41) 3222-7613 sucesu@www.prsucesu.org.br

A contratação de um Gestor Técnico por demanda é um novo conceito ganhando maturidade. Há um sentimento de cuidado dos dois lados da mesa no debate sobre o tema.

A contratação de um Diretor de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) por demanda parece ir na linha da “Uberização” para contratação de serviços. Há diversas perspectivas de aplicação. Não se aplica para tudo e todos. Mas algumas soluções vão se viabilizando espontaneamente contra crises, tributos, compromissos pesados, escassez de mão de obra qualificada e a favor do que as tecnologias permitem, da qualidade de vida, do risco compartilhado, da redução de custos e da pressão cada vez maior por assertividade.

O mundo está vivendo intensamente suas transformações e principalmente as digitais. A transformação poderia ser ainda maior e mais rápidas não fossem os naturais entraves culturais. E nesse caso, estamos falando obviamente de pessoas. Nada mais justo percebemos as resistências quando novos conceitos chegam, mesmo que se propondo a melhorar para todos os participes.

Inegavelmente o Gestor de TIC ou CIO (Chef Information Office) ajuda empresas a alcançar maior sucesso usando a tecnologia e consequentemente atingindo as metas de negócios. A maioria das empresas são cada vez mais impactadas de alguma forma pelo uso da tecnologia.

As responsabilidades de um CIO são diversas e adversas. Vão desde uma revisão de impressora com papel enroscando até a participação efetiva na elaboração do planejamento estratégico de uma grande companhia. Se tentarmos buscar detalhes do dia-a-dia precisamos classificar as atividades em grupos operacionais, gestão de pessoas e estratégicas. As Atividades Operacionais elencamos algumas: Segurança de TI e gerenciamento de conformidade, Revisão e negociação de contratos, Definição de padrões de tecnologia de TI, Definição das principais métricas de desempenho, Utilização de Tecnologia em Nuvem, Padronização de plataforma de TI, definição de ferramenta de Business Intelligence (BI). As Atividades do CIO também tratam das de Gestão de Pessoas e coaching: Avaliação de funcionários de TI, Design e Otimização de Processos de Negócios, Gestão de recursos, Gestão de Parcerias de Provedores de Serviços, Relatórios de status de desempenho, Ações proativas de segurança de TI, treinamentos e formações específicas. O CIO tem uma das suas principais atribuições na Liderança Organizacional: Alinhamento de estratégias de negócios e TI, TI e gerenciamento de riscos de negócios, Governança e segurança de TI, Conselheiro do Conselho, Avaliação e orçamento do retorno sobre o investimento, Participação no planejamento estratégico da companhia, Planejamento Estratégico de TI.

E ainda existem projetos e trabalhos adicionais que ampliam o cardápio de um Gestor de TI: Implantação de um ERP. Atividade requer tempo e dedicação para definir critérios de seleção, encontrar um sistema novo, acompanhamento constante para garantir uma implementação adequada, gerenciamento de projetos com experiência em negócios. Check da Saúde da TI. Avaliar se a TI está funcionando como deveria. A TI atendendo as iniciativas estratégicas. Há recorrência de problemas. Os prazos estão sendo cumpridos. Onde estão as causas raiz dos problemas.  CIO Coaching. ​Você tem pessoas cuidando dos problemas de tecnologia do dia a dia. Quem está olhando para o panorama da tecnologia? Quem está se certificando de que você está fazendo as coisas certas a longo prazo? A TI está ajudando no crescimento e no lucro da empresa? As pessoas estão motivadas com o uso da tecnologia? Ajuste do processo. Avaliar os resultados do ERP ou CRM. Avaliar se as tecnologias continuam atendendo os usuários e a companhia. Analisar se os benefícios das tecnologias estão sendo colhidos. Gerenciamento de Projetos. ​Planejar a entrada de uma nova iniciativa. Simular novas atividades dentro do atual time. Avaliar necessidades de novos recursos.  Acompanhar os resultados diários. Prever resultados.

Há muita coisa sob a responsabilidade de um gestor de TI. Por isso, essa ampla responsabilidade pode e deve ser compartilhada. Mas esse compartilhamento é complexo por envolver um misto de conhecimento técnico em diversas profundidades e alinhamento com os propósitos de uma empresa. Não por acaso o CIO é solitário. Não há confidentes na mesma linha hierárquica, poucos entre liderados e poucos nos superiores. Raros são os que têm.

Ufa!  Tudo isso para contextualizar que o CIO On Demand de fato pode agregar inteligência de forma rápida para a gestão cotidiana e/ou garantir uma força tarefa também inteligente na execução de projetos pontuais. O Gestor de TI por demanda é ideal para conduzir projetos críticos, encontrar e implementar um novo sistema, mudar para a nuvem, consertar e melhorar processos, ajudar a encontrar a melhor tecnologia para o negócio e algumas outras.

O CIO On Demand terá sucesso se não for considerado concorrente. A confiança nesse posicionamento por parte do contratado deve ser clara e honesta. Felizmente essas ponderações são passíveis de análise prévia. Espera-se um grau superior desse gestor externo uma bagagem de maturidade técnica e comportamental. Esses profissionais são executivos de tecnologia sênior multifacetados, muitos anos de estrada (nada menos de 15-20 anos de experiência), vivência nos problemas apresentados e reconhecimento do mercado.

O CIO On Demand terá sucesso se considerado como agregador de inteligência, como cabeça pensante para pensar junto, como força tarefa para montar projetos maduros, como mentor que ajuda a reduzir erros, como mentor que ajuda a enxergar mais longe, como articulador que colabora nas tratativas com fornecedores e que aprende com eles, como mestre que deixa legado para gestores mais novos.

Por falar em fornecedores, alguns cuidados precisam ser identificados nesse CIO por demanda. Devem ser independentes de fornecedores. Não devem vender hardware ou software, sendo isentes de marcas ou meras tendências de mercado.

Um CIO em tempo integral segue firme na sua importância. A imersão total agiliza onde estão “os parafusos para apertar” e encurta o domínio da cultura corporativa. Mas quem aí já não se sentiu na vontade de poder ligar para algum lugar e pedir: “Ei, dá pra mandar um CIO ERP e outro para Mudança de Infra?”.

 Fernando Misato,
é Diretor Comercial da SUCESU Paraná, empresário e articulador
para desenvolvimento de networking entre os profissionais de TIC.

Share This